Escandinavos

Quando uma história de amor realmente termina?

 

Existe o “fim definitivo”?

 

Os sentimentos acabam ou se transformam?

 

Essas questões são vivenciadas pela personagem da peça Escandinavos, solo de uma atriz que narra ao público o fim de seu relacionamento, ocorrido há quatro anos. Para isso, ela não hesita em fazer uso da memória e até da ficção – quando se apropria, muito livremente, da história de uma atriz norueguesa e de um diretor sueco. Esta mulher, dona do único ponto de vista do que é narrado/vivido em cena, divide com o público as decisões que tomou para a nova etapa de sua vida, com suas dúvidas e (poucas) certezas, buscando preencher as lacunas existentes e, quem sabe assim, forjar outras possibilidades de futuro. O teatro como mediador explícito das relações humanas.

Escandinavos é um exercício de cena, uma experimentação da linguagem, a fricção entre aquilo que está escrito e o desejo de quem está no palco.

Sinopse do espetáculo

Uma atriz tenta superar o fim de um denso relacionamento amoroso por meio da criação ficcional. Ela inventa uma nova história que se confunde com a sua: o fim de um romance entre um diretor sueco e uma atriz norueguesa. Discutindo os paralelos entre a arte e a vida, o texto não apenas revela aos poucos a confusa história da protagonista, mas também adentra o domínio metalinguístico ao esmiuçar o processo cênico do espetáculo. Repleto de subjetividade, Escandinavos é comandado pelas idas e vindas da mente da personagem que cria ambientes e figuras apropriando-se da únicas três cadeiras que compõem a cenografia.

Ficha Técnica

Dramaturgia – Denio Maués

Direção – Nicole Aun

Interpretação – Andrea Tedesco

Iluminação – Jimmy Wong e Diego Gonçalves

Objetos de cena – Ciro Schu

Figurino – Andrea Tedesco e Nicole Aun

Sonoplastia – Pedro Canales

Fotos – Marcelo Patu

O processo

O texto da peça “Escandinavos” foi escrito por Denio Maués (dramaturgo paraense contemporâneo, estabelecido em São Paulo) e teve sua primeira versão apresentada ao público em 2013, em um ciclo de leituras dramáticas promovido por seu grupo, Centro de Dramaturgia Contemporânea (CDC). Em 2014, a peça foi publicada na coleção “Palavras para Teatro” (Editora Patuá/edital ProAC). Nesse mesmo ano, o texto integral foi apresentado ao público no projeto Leituras Dramáticas do Centro Cultural São Paulo (CCSP), com curadoria de Kil Abreu, e a peça teve uma apresentação especial, em versão pocket, na SP Escola de Teatro, dentro do Festival Satyrianas. Em 2015, uma série de ensaios abertos foram realizados no teatro Sergio Cardoso. Em agosto de 2016, após um processo de três anos, “Escandinavos” estreou sua primeira temporada, na sala experimental do Teatro Augusta, em São Paulo, com direção de Nicole Aun e a atriz Andrea Tedesco dando vida a essa personagem, nesta “quase comédia onde a dor da perda é tratada de maneira muito original e até engraçada”, como disse o crítico José Cetra em sua resenha sobre o espetáculo.